Stockpickers #12 #13

Resumo dos episódios #12, conversa com Jakurski e #13

Stockpickers #12

Thiago Salomão entrevistou Luis Alves Paes de Barros, médico Luis e Henrique Bredda

Médico Luis

Em Goiás não tinha corretora independente. Com o advento da internet houve maior acesso para o investidor comum.

Decidiu visitar o Alaska para entender se Alaska era realmente fora da curva ou não. Entendia que em todos segmentos da economia há outliers e acreditava que Alaska poderia ser um deles.

Não acreditava em simplesmente comprar o índice e pronto. Stockpicking faz sentido.

LAPB

Luis Alves iniciou comentando que estamos vivendo em um conto de fadas com final feliz e que vai durar por um bom tempo. Antes na bolsa um queria passar a perna no outro.

Investe desde os 15 anos e o primeiro investimento foi Belgo Mineira. Comprou a 23 e caiu para 4

Pouco mudou nos dias de hoje. A grande mudança foi a informação, agora acessível para todos. A educação financeira e a maior disponibilidade são o grande diferencial nos dias de hoje.

MGLU

Quando alguma empresa fica muito em evidência, é que normalmente já deu o que tinha que dar. Mas Bredda viu que citaram várias vezes a Amazon na capa da Exame e ficou mais tranquilo

Luis viu que tinha um banco muito vendido em Magazine Luiza e soltou boato que companhia não era solvente. Ele decidiu começar a comprar e comprou mais da metade do free float da empresa, gerando um short squeeze .

Tente entender quem está vendendo/comprando o papel, se é a mesma pessoa sempre. O quão fácil é de executar ordens maiores.

Alaska

No início era uma tesouraria junto com um family office. Poland tinha 600 MM BRL e Black tinha 25 MM BRL. Hoje ambos possuem 3 BI BRL cada

Começaram comprando MGLU no Poland por ele tinha mais caixa que o Black. Hoje não há diferença relevante entre a alocação entre os fundos.

Bredda reiterou que o grande risco que ele enxerga é a sanidade mental dos sócios. Eles nunca podem se acomodar.

A matemática é igual para todos, a diferença é a emoção/sentimento.

Para empresa dar certo precisa de competência e sorte. Sorte já tinham por trabalhar junto com LAPB

Trunfos do investidor PF

Não precisa fazer venda forçada, como alguns fundos fazem

Não tem problema de liquidez

Não tem compromisso de dar uma rentabilidade mínima mensal, pode esperar por um tempo maior o ativo performar.

às vezes fundo foca muito no curto prazo e acaba sacrificando uma performance melhor no longo prazo.

Ídolos

Seria alguém que possui um cargo/posição que você almeja chegar. Mas depois que chega, é bom procurar outro para sempre continuar com fome.

Raul Forbes -> fazia acontecer o que bem queria no mercado

Luis Figueiras -> abriu capital da Eletrobras

Ação favorita

PETR, depois VALE

Maior ganho nos investimentos

Belgo Mineira -> multiplicou dinheiro por 52x em dólar

Maior perda

Não perde muito pois quando começa a micar, sai rápido.

Alisar e agradar as suas ações

Comprar um pouco, vender um pouco. Nunca esquecer dela.

Livro

Não acredite que você vai aprender tudo em um livro, é necessário praticar.

Conselho

Não suje as mãos

Thiago Salomão entrevistou André Jakurski

Decisões de investimento

Curto prazo -> trade que aparece de repente. Em moedas prefere fazer algo mais de curto prazo por não ter visão de longo prazo nelas

Longo prazo -> decisões de análise, mais pensadas

O que mudou nos últimos anos

Houve universalização da informação, algumas arbitragens não ocorrem mais

Mas a relação risco x retorno de alguns ativos às vezes fica boa: o ganho potencial é muito maior que a perda potencial.

É importante saber como que os outros estão posicionados e o sentimento geral do mercado (otimismo/pessimismo)

Oportunidades

Sempre há várias oportunidades e sempre teremos mais. Não ficar se lamentando por não ter pego uma ou outra oportunidade. Não dá para ganhar dinheiro com tudo

1983 -> multiplicou em 30 – 40x o capital em uma cimenteira. Comprou bastante e depois vendeu a um grupo de bancos.

Telebras valia em torno de 400 MM USD. Comprou 9.5% com o dinheiro do BTG e de clientes. Comprou a 2 USD/ação e vendeu por 32 USD/ação

Rotina

Acorda todo dia 6:30 e já checa se precisa zerar alguma posição.

É necessário treinar todo dia para ter uma boa performance

André erra diariamente, mas corta o erro rapidamente.

Lê umas 400 páginas por dia, faz leitura dinâmica e é seletivo com o que vai ler.

Não precisa de dinheiro, precisa de motivação para trabalhar

Stockpickers #13

Thiago Salomão conversou com Henrique Bredda (Alaska), Florian Bartunek (Constellation) e Betina Roxo (XP)

Renda Variável

Florian acredita em “uma corrida de homem pelado”, em referência a quando o amante sai correndo quando o marido chega na casa. Quando investir perceber que não consegue ter rendimento espressivo na renda fixa, vai inevitavelmente migrar para a renda variável

Há a dor da perda, alegria do ganho e dor de não participar. Levando esses vieses comportamentais em conta, muitos investidores irão querer participar da bolsa.

A verdade é que é difícil comprar na low e vender na high.

Bredda lembra que as pessoas sabem o preço de tudo, mas não sabem o valor de nada. A bolsa estava em 37 mil pontos e hoje está em 110 mil pontos. E o múltiplo é o mesmo, o que mudou foi o crescimento de lucro das empresas.

Betina acredita justo pagar por um múltiplo mais alto na bolsa pois o governo está pró mercado. Na Índia, quando um governo pró mercado foi eleito, múltiplos aumentaram.

PIB x IBOV

Nos últimos anos PIB ficou flat e IBOV cresceu mais de 200%

Se PIB não crescer muito, é positivo para empresas grandes, pois pequenas não crescem muito/não se sentem compelidas a crescer muito

IBOV 200 mil pontos é plausível, mas não quiseram falar quando.

Companhias

Entender se vantagem competitiva é estrutural ou temporária

Hoje todo mundo está sendo disruptado de uma maneira ou de outra: tecnologia, ESG ou mudança no padrão do consumidor

Identifique big winners ou big losers

Todo mundo vai inevitavelmente errar, procure errar pequeno e não errar muito

Tente não pagar muito na frente, por o risco de se surpreender negativamente é alto.

Não tenha dor de corno sobre algo que não fez, já foi. Observe para frente.

JBS

Surfa gripe suína africana na China, que reduziu oferta de porcos. Dados não são muito exatos, estimam uma queda entre -20% (perda de 11 milhões de toneladas) e -50%.

Haverá desequilíbrio da oferta x demanda, puxando preços para cima.

Com/sem gripe suína, JBS já estava entregando bons resultados (ao contrário de BRF)

JBS pode realizar aquisições e melhorou governança. Com listagem nos EUA e sob supervisão da SEC, deve melhorar a percepção de governança.

SUZB/PETR/VALE/BRKM

São empresas com margens altas, dominantes em seus mercados, não possuem capex relevante e são bastante líquidas (dá para sair facilmente)

Todo mundo tem um porém: Suzano tem o desafio de preços na China, Petrobras é estatal, na Vale ficam com medo de uma nova barragem ser rompida e Braskem tem risco Odebrecht.

Florian não tem Suzano, mas gosta da empresa.

Portfolio

Sempre foque no portfolio, para não ter risco específico de uma empresa virar pó do dia para a noite.

Pense em um time de futebol. Todo mundo gosta de ter vários atacantes, mas cada um tem a sua função para proteger a carteira como um todo.

Tenha/crie um processo de investimento para escolher ativo e criar a sua carteira

Empresa favorita

Florian -> LREN

Betina -> JBS

Maior perda

Florian -> Banco Nacional, virou pó

Betina -> BTOW, case é bom mas ela patinou

Maior ganho

Florian -> MELI, Telebrás, KROT

Betina -> JBS

FIA que gosta

Florian -> Squadra

Betina -> Dahlia

Clique aqui para ler sobre o Niverpickers

2 comentários em “Stockpickers #12 #13”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.