COGN + Stockpickers #62 Outliers #9 TBT #4

a

Thiago Salomão conversou com Paola Mello, da GTI; ela está comprada em COGN3

Tese de investimento

FIES atingiu o pico em 2014 e depois começou a diminuir

Ticket médio do aluno FIES era muito alto e não tinha problema de evasão/inadimplência

Em 2017 houve forte flexibilização de EAD -> enxurrada de novos entrantes (preço e margem no EAD caiu)

Kroton comprou Somos com dívida a múltiplos caros, mercado não gostou

Kroton passou a financiar alunos com PEP

Margem da companhia consolidada caiu e papel afundou -> entrou no radar da GTI

Paola gosta muito do ensino básico, por ser altamente fragmentado. Mas aquisições de 1k/1.5k alunos não impacta de maneira relevante a Cogna -> criaram a Vasta, que é escalável

Em situação de crise, educação básica é um dos últimos itens a serem cancelados

Carteira

Tem 15 a 20 ativos e COGN é posição média (6% do fundo)

Alavancagem

Cresceu muito com aquisição da Somos Educação, com IPO da Vasta reduz bem

Valuation

Papel poderia dobrar nos patamares atuais -> 14 reais

Não está barato via múltiplos, mas está pelo DCF

PEP é 5% da base total e já provisiona 50% na largada

Negócio físico alavanca o online e aberturas de novos campi são em cidades menores, pois as maiores já foram mapeadas

Thiago Salomão conversou com Fernando Goes sobre opções da COGN

Observar preço de exercício, preço da bolsa, taxa de juros, volatilidade e prazo

Quando mercado fica muito volátil, Goes prefere ficar de fora

TBT dos investimentos #4

Lucas Collazo conversou com Guilherme Giserman, estrategista internacional da XP

Tech

O que carrega o crescimento do lucro do S&P nos últimos 10 anos são as FAANGs

Não necessariamente TI, mas sim quem usa tecnologia como motor dos seus negócios

Apenas EUA e China possuem grande representatividade de tech na bolsa

Empresas criaram soluções para as pessoas quando elas nem sabiam que tinham esse problema

Vale a pena investir?

A parte de tech já está positiva no ano, enquanto parte Brasil ainda está negativa no ano

Guilherme acha que sim. Techs estão em linha com P/E histórico

Algumas empresas estão baratas pois não possuem futuro, “fazem máquina de escrever”

Brasileiro tem homebias muito grande e representa apenas 2% do valor de mercado global

Livro -> Trading in the zone

Podcast ->Macro cosmos

Boleto ou não boleto?

Aamzon/Apple/Facebook/ouro/viagem -> boleta

Stockpickers #62

Continuação do #61, da Bia da Studio e Rodrigo da HIX

Shoppings

Studio investe em shoppings há um tempo e aumentaram em junho -> MULT/IGTA

Eles entendem que há um pessimismo exagerado

TIR implícita malls era em linha com Utilities em jan/20, agora estão negociando a prêmio de 300 bps de Utilities

Nos EUA há um excesso do número de lojas físicas. Mesmo assim shoppings premium estão performando bem -> por isso alocar em MULT/IGTA

Brasil está migrando para modelo chinês ao invés do americano.

Shoppings premium irão outperformar shoppings com portfolio pior

Na China varejistas estão abrindo loja física para fugir do controle dos grandes de Ecommerce. Loja física que te entrega uma experiência não consegue ser substituída pelo Ecommerce.

HIX gosta de JPSA por causa do desconto de 35% para IGTA

HAPV

Empresa de dono, maior plano de saúde do Brasil e plano mais barato

Tem vantagem competitiva por ter hospitais

SULA

Setor de saúde cresce, é resiliente, empresa bem gerida. Melhor que concorrentes

Não é integrada

Desinvestiu auto que era menos rentável e alocava muito tempo da gestão

Outliers #9

Samuel Ponsoni conversou com Rogério Xavier

Histórico

Não sabia o que fazer e decidiu fazer medicina. Viu uma revista de um cara que ganhou muito dinheiro, foi então fazer economia

Mas não tinha economia à noite -> fez administração e puxou umas cadeiras de economia

Deixou currículo no Garantia e no Multiplic, deixou apenas nome/telefone/endereço pois não tinha experiência.

Começou a trabalhar no Garantia, mas quando migrou para São Paulo Rogério ficou no Rio

Todo mundo tinha o mesmo objetivo, todo ia na mesma direção

Entrava 7h e saía 3h, trancou a faculdade por 3 anos

Entrou no BBM em 1989 e saiu em 2010

Havia desconfiança entre asset e tesouraria pois tesouraria ganhava muito mais dinheiro que asset

Sempre focou em renda fixa, bolsa e moedas ficavam para outras pessoas

Queria comprar o negócio de asset do BBM, mas não conseguiu

Saiu e criou a SPX

Crises que mais te marcaram

Argentina em 2001 -> começou a vender em 1998, mas país só quebrou em 2001; negócio desequilibrado às vezes demora para acontecer. Carrego era ruim, no final ficou zerado

Crise da Ásia em 1997 -> se preparou e ganhou muito dinheiro com ela

Crise 2008 -> começou em 2007 -> crise não acontece do dia para a noite, vai aos poucos e explode. Sempre tem uma história bonita para resgate

Erro

Não ter saído antes. Ganhou muito dinheiro na Hungria e demorou para botar no bolso

O que faz zerar posições é quando mercado muda -> cenário mudou, zerou

Pilares SPX

Ser partnership, alinhamento com clientes, poder ir para outros países, não tem dono da decisão de investimentos

Morar em Londres demonstra comprometimento em outros locais

Áreas

Multimercado, renda variável e crédito

Processo decisório são as caixinhas de maneira global. Top down e depois segmenta

Gestores mais seniores são responsáveis pela estratégia.

Não gostam de dar limite individual demais pois pode perder a opinião do fundo

O fato de ser grande só te ajuda para ter acesso, etc

Olhando para Brasil, está grande (35 BI BRL). Olhando para fora (8 BI USD) ainda está pequeno

Peers

São fundos internacionais -> Faros, Bridgewater,

Principais mercados emergentes são da Ásia

Brasil é uma operação para a SPX, não “a” única operação

Mercado

Continua sustentado pelas operações dos tesouros

Quanto tempo demora para surgir a vacina e por quanto tempo BCs continuam inundando mercado

Brasil vai ter desemprego muito grande e vai estourar teto de gastos

Aposta em inclinação positiva nos juros

Como escolher um bom multimercado?

Não ter insider information, se grupo é coeso, alinhamento de interesses, se está investindo constantemente na empresa

Gosta da Verde, Atmos, Ibiuna, Adam, Kapitalo

Thiago Salomão e Giuliana Napolitano conversaram com Martin Escobari

Histórico

A vida é uma série de acidentes que acaba dando certo.

Aprendeu inglês pois era a única escola que conseguiu entrar

Foi para Harvard pois lá tinha bolsa

Submarino foi a primeira empresa tech no Ibovespa, só tinha empresa bem estabelecida na época

Participou do IPO da Arco, que foi a primeira empresa brasileira a fazer IPO na Nasdaq

Como investir?

É possível fazer checklist positivo/negativo, mas no final do dia não é aplicável. O importante é entender a posição estratégica da empresa e os riscos envolvidos.

Veja a foto atual e o filme

Entender o tamanho potencial do mercado, se a posição competitiva é duradoura ou não. O time vai se reinventar? O time pode mudar? A cultura empresarial vai se reinventar?

Grande investidor olha aonde tem muita opcionalidade. Martin gosta de empresa em que a foto é boa e o filme deveria ser melhor

Primeiro ele acha um setor bom, depois procura empresa boa

Desafio da pandemia é o feeling, andar na empresa e ter noção do que está realmente acontecendo

Ambientes com alta volatilidade são mais hostis, logo a empresa que está mais preparada ganha mais vantagem frente a concorrentes

Ele procura hoje empresa bem capitalizada, eficiente, com cultura forte, digital, criativa (pois OBZ não dá mais certo) e disruptiva

Grande parte das empresas que eram “built to last” estão “capengas”, o mundo muda

O mundo está mais eficiente, tem menos gordura para queimar, estratégia OBZ teve seu momento

“A vida sem trauma é impossível”

Arco

Durante 30 anos a mistura de educação com tecnologia nunca deu certo. O grande trunfo da Arco foi focar no professor. Depois da Arco comprou 8 edtechs

Uber

Não investiram no Uber por estimarem errado o tamanho de mercado (achava que Uber seria apenas carro de luxo). Em todos deals que dão errado fazem um post mortem para não repetir o erro

Peixe Urbano

Modelo de negócio não estava comprovado

CVC

Ideia era replicar o Booking.com, mas o Booking já estava presente na América Latina

Aprendizado quarentena

Dá para reduzir viagens

Saudade

Abraçar amigos

Clique aqui para ler sobre outros textos sobre ações

Stockpickers #60 #61 TBT #3 Outliers #8

Thiago Salomão e Renato Santiago conversaram com Marcelo Lopez (L2) e Fernando Araújo (FCL) no Stockpickers #60 e com com Beatriz Fortunato (Studio) e Rodrigo Heilberg (HIX) no Stockpickers #61, Lucas Collazo conversou com Sergio da Hashdex e Samuel Ponsoni conversou com José Tovar e Bruno Garcia da Truxt

Continuar lendo Stockpickers #60 #61 TBT #3 Outliers #8