Stockpickers #55

Thiago Salomão e Renato Santiago conversaram com Fabio Alperowitch (Fama) e Luiz Guerra (Pragma Patrimônio) sobre ESG (18/jun/20)

Pragma

Inicialmente era dinheiro dos sócios da Natura. E Natura colocou sustentabilidade como parte da estratégia da companhia, facilitando a implementação do ESG na Pragma

ESG

Acrônimo para Environmental, Social & Governance. Não é um produto novo na prateleira das gestoras e sim uma parte do processo para tomada de investimento.

Você contemplar todos stakeholders e ao investir ter em mente o bem estar das gerações futuras, não apenas a atual

Investimento ESG

Há várias maneiras de investir levando em conta os princípios ESG. Uma dela é entender se há uma cultura ESG presente na companhia e se é um bom negócio por si só.

ESG é uma ferramenta no processo de decisão de investimento, ela não exclui a outra. Ainda há a proposta de ganhar dinheiro para o cotista. Mas, ao excluir empresas grandes no índice como PETR/VALE/JBS, o fundo inevitavelmente irá ter um tracking error maior

Outra é filtro negativo: não investir em empresa de setores que destroem o ambiente.

Uma terceira: investir apenas nas melhores empresas de cada setor e que se esforçam para danificar menos o ambiente à sua volta

Luiz lembrou que a nova geração está mais preocupada com propósito que as gerações anteriores, o que é algo positivo para implementação ESG nas empresas. As empresas não apenas fabricam produtos, precisam se posicionar cada vez mais. Luiz frisou que é possível considerar ESG e ser melhor que seus competidores.

A empresa precisa ter em consciência de que possui “licença para operar renovada de maneira constante”. Se segue os princípios ESG pode continuar operando.

Racional implementação

As empresas não criaram isso de maneira pro ativa e sim veio de demanda de clientes que “ameaçaram” sacar dinheiro caso gestores não revissem a estratégia e passassem a implementar ESG.

Luiz comenta que sim, os donos do dinheiro que forçaram a indústria a adotar ESG, mas ainda há muito trabalho a ser feito. Comentou inclusive apenas criar uma lista de empresas não investíveis não faz muito sentido, pois o gestor entende que pode investir no que não está naquela lista e dorme de consciência tranquila

Olhando para trás, empresas que incorporaram sustentabilidade em seus negócios são mais modernas e portanto menos suscetíveis à disrupção

Adesão

Fabio comentou que poucos gestores de ações aplicam ESG no Brasil pelo fato de o tema ter sido politizado, tendo um viés esquerdista.

Muitos deixaram de lado, mas aos poucos clientes estão exigindo isso.

Quais dados acompanhar?

Análise ESG é complexa e muitos dados disponíveis (como relatório de sustentabilidade) são voluntários, o que motiva empresas a reportarem apenas as coisas boas.

As empresas focam em emissões pois elas são muito cobradas por isso, mesmo que o setor não emita muito gás carbônico. É importante entender os principais desafios do setor e como eles podem ser endereçados

Ainda não temos uma análise padrão em ESG. Fabio reiterou que mesmo se tivesse um padrão seria necessário investigar (assim como você faz no valuation)

VALE

Luiz falou que ainda não possui evidências de que ela é a melhor mineradora, a mais sustentável do mundo. Mesmo com vários acidentes ainda está atrás de peers

Ambos concordam que acionistas deveriam exigir mudança.

Fabio não investe na Vale de maneira alguma. Já Luiz não vê problema em investir em ativo problemático, desde que tenha uma agenda de engajamento.

Grandes fundos passivos poderiam impor uma agenda ESG nas empresas, mas ambos Luiz e Fabio reconhecem que fundos muito grandes demoram um pouco para implementar algumas ideias. Mesmo levando isso em conta, Blackrock está na frente de outros fundos passivos como Vanguard e State Street.

Shell, por exemplo, está se esforçando para fazer uma transição da matriz energética enquanto Exxon não

Exemplos ESG

E -> KLBN

S -> LREN

G -> RENT

Luiz comentou também sobre Unilever, Natura, Cerner e Lindt

Lindt gasta muito gás carbônico, mas é muito menos que peers.

ESG ruim -> VALE

Greenwashing -> fala que segue princípios ESG mas não executa

Gestores ESG

Fama, JGP, Constellation

Sonho do Fabio é não existir mais ESG no futuro, pois deixaria de ser nicho

Na crise vemos quem implementava ESG de verdade e quem não implementava ESG

Clique aqui para ler sobre o stockpickers #54

Um comentário em “Stockpickers #55”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.