Predição

Participei do evento Value Investing na FGV e a Victori Capital deu de presente um livro a todos.

O livro resume as várias cartas mensais da gestora e o primeiro capítulo é sobre predição.

“Prever é algo bastante difícil, especialmente se for prever o futuro”. Niels Bohr.

A proposta é ter uma consciência de que você não consegue prever tudo, então foque no que está nas suas mãos. Ou no que você consegue ter conforto.

Você não tem certeza da cotação do dólar nos próximos 12 meses nem nas taxas de juros. Mas você possui conforto em um presidente com uma boa reputação e um bom histórico na possibilidade de geração de valor no longo prazo.

Assim como se comenta no livro Sinal e Ruído, é importante separar o que é sinal (importante) e o que é ruído (distração).

Nós adoramos tentar prever o futuro, mas infelizmente não somos tão bons sobre isso. E o mais legal: boa parte das pessoas que fazem previsões não são “punidas” se errarem. Colocam a culpa em qualquer evento e bola para frente. Vamos fazer previsões sobre o próximo período.

Alguns estudos demonstram que pessoas pagas para realizar previsões erram mais de 50% das vezes, o que é pior que um macaco apertando botão SIM/NÃO para qualquer pergunta.

Segundo Howard Marks, há dois tipos de pessoas: as pessoas que “sabem” e as que “não sabem”. As que “sabem” acreditam que a direção da taxa de juros, do câmbio, etc são determinantes para o sucesso de seus investimentos. E o mais importante: acreditam que conseguem prever esses indicadores com sucesso.

Já as pessoas que “não sabem” possuem consciência de que não conseguem prever o futuro e tentam fazer o melhor trabalho tendo isso como uma realidade.

Se você não pode se masturbar com os índices macroeconômicos, o que fazer? Achar teses de crescimento secular, companhias sólidas e times de gestão robustos.

Eu não concordo com tudo isso ao pé da letra, por entender que esquecem de uma parte importante: a mudança do consenso (o que todo mundo achava um patinho feio vira um cisne).

É importante lembrar que preço importa e deve entrar nos pontos a serem vistos na tomada de decisão de investimento.

Não se pode comprar qualquer a qualquer preço. Eles olham para preço sob uma ótica de risco: comprar um ativo a 10 BRL/ação é menos arriscado que comprar a 20 BRL/ação. E obviamente a 20 BRL/ação você possui uma margem de segurança menor.

Eles definem barganha uma empresa que consistentemente gera retornos sólidos de maneira consistente. E de preferência acima da média do mercado.

Clique aqui para ver o último resumo do evento.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.